Você sabe como está o seu nível de Vitamina D?

Por Dr. José Fábio Lana


Muitos de vocês já devem ter ouvido falar sobre a importância da Vitamina D, inclusive em algumas de nossas colunas anteriores. Falaremos mais sobre ela hoje e nas próximas semanas, principalmente como uma forma de alertá-lo sobre a importância de conhecermos a quantidade de Vitamina D que temos no nosso corpo.


Alguma vez você já dosou seu nível de Vitamina D? Sabe por que isso é importante?
A vitamina D desempenha um papel vital no nosso organismo desde a infância até a velhice. Ela determina os níveis de cálcio, magnésio, ferro e zinco nas nossas células. É indispensável para o equilíbrio hormonal e para a saúde do cérebro e sistema nervoso, além de influenciar positivamente o sistema imune, o humor e os níveis de insulina.


Por atuar diretamente na produção de dopamina, adrenalina e noradrenalina, a deficiência de Vitamina D pode contribuir para o surgimento de sintomas como fadiga muscular ou cansaço crônico, dor no corpo, mialgia, enxaqueca e sintomas de depressão. Além disso, uma série de doenças auto-imunes podem estar relacionadas a baixos níveis de Vitamina D, como por exemplo a esclerose múltipla, algumas tireoidites, artrite reumatóide e doença de Crohn. Outros problemas como osteoporose, sarcopenia, infertilidade e ovários policísticos também têm causas relacionadas ao descuido em relação ao nível dessa vitamina, frequentemente a Hipovitaminose D. Cerca de 98% dos idosos com fraturas por osteoporose tem deficiência ou insuficiência de 25-Hidroxi vitamina D no sangue. Estudos recentes têm associado baixo nível de vitamina D ao aumento no risco de desenvolver alguns tipos de câncer, como de próstata, mama, pele e intestino grosso.


A forma mais precisa de medir a quantidade de vitamina D do nosso corpo é por meio do exame 25-hidroxi vitamina D. No rim, a molécula 25-hidroxi vitamina D se transforma em uma forma ativa da vitamina, que vai atuar diretamente no nosso metabolismo. Diversos médicos têm pedido a realização desse exame, que os auxilia a compreender a causa e evolução de muitas doenças. Esse exame, também chamado de "25-OH vitamina D" ou "calcidiol 25-hidroxicolecalciferol", apresenta valores normais quando permanece entre 30 e 100 ng/mL, sendo que muitos estudos sugerem um nível ótimo na faixa acima de 50 ng/mL.


Resultados abaixo do normal sugerem uma deficiência de vitamina D ou uma Hipovitaminose. Esta condição pode resultar de:


• falta de exposição ao sol;
• dieta pobre em vitamina D;
• doença hepática e renal;
• dificuldade de absorção;
• uso de certos medicamentos como fenitoína, fenobarbital e rifampicina.



Baixo nível de vitamina D é mais comum nas crianças de raça negra, particularmente no inverno quando há menor exposição ao sol.


Mas o que fazer para reverter uma deficiência em vitamina D e evitar problemas futuros? Esse será o assunto da nossa próxima coluna. Fiquem atentos às nossas dicas da semana que vem!


Referências


Mello RGB, Schneider RH, Collares FM, et al. Vitamina D e prevenção de quedas em idosos: uma revisão sistemática. Scientia Medica. 2010;20(2):200-6.Peres LAB, Matsuo T, Ann HK, et al. Níveis séricos de 25-hidroxi vitamina D em pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento dialítico. Rev Bras Clin Med. 2011;9(3):173-8.